Os Jogos Paralímpicos

Uma adaptação do esporte mais popular do planeta, o Futebol de 7 entrou no programa paralímpico nos Jogos de Nova Iorque e Stoke Mandeville (Inglaterra), em 1984. Desde então, a disciplina vem crescendo e se espalhando por todo o mundo ano após ano.

O Futebol de 7 tem como origem Edimburgo, capital escocesa, durante a terceira edição dos Jogos Internacionais para Paralisados Cerebrais, realizados no ano de 1978 na cidade.  Na mesma ocasião, foi fundada a Associação Internacional de Desporto e Recreação para Paralisia Cerebral (CP-ISRA, em inglês), que rege o esporte atualmente.

A realização do primeiro Mundial foi em 1982, na Dinamarca, dois anos antes de sua estreia nos Jogos Paralímpicos. O esporte, apenas para homens, é praticado por pessoas com paralisia cerebral, decorrente de sequelas de traumatismo crânio-encefálico ou acidentes vasculares cerebrais.

Todos os atletas são avaliados antes de qualquer competição, e classificados nas classes 5 a 8, sendo a oitava a de maior potencial funcional. Para garantir que os jogadores de todas as classificações estejam em quadra, uma regra determina que pelo menos um integrante da classe 5 ou 6 esteja em campo durante todo o tempo de partida, e no máximo dois da 8.

Outro aspecto interessante do esporte é o fato de cada participante ser deslocado para uma função em campo compatível com suas possibilidades. Jogadores de classe 5, com comprometimento nos membros inferiores e que têm restrições para realizar o passe e o chute, comumente atuam como goleiros.

As regras oficiais são parecidas com as da Federação Internacional de Futebol (FIFA, em inglês), com adaptações que facilitam a prática do futebol por pessoas com paralisia cerebral. Entre elas estão o fato de que cada equipe conta com seis jogadores de linha e mais o goleiro, em vez dos tradicionais 11; não há impedimento; a partida tem dois tempos de 30 minutos cada; e o arremesso lateral, normalmente feito com duas mãos no Futebol, também pode ser executado com uma só.

A semelhança com o Futebol serve de estímulo para que este esporte cresça no mundo todo, e a constante revisão das regras oficiais faz com as pessoas com paralisia cerebral mais severas tenham mais oportunidades de praticá-lo.