Os Jogos Olímpicos

Meio de transporte desde a antiguidade no Egito, Grécia e Itália, o Remo só começou a aparecer como esporte no final do Século XVII e início do XVIII, na Inglaterra. A primeira disputa oficial foi a famosa corrida entre as universidades de Oxford e Cambridge, realizada de 1828 até hoje no rio Tâmisa.

Aos poucos, o esporte ganhou popularidade na Europa e cresceu em outros continentes. A Federação Internacional de Remo (FISA, em francês) foi fundada em 1892, e no ano seguinte organizou a sua primeira regata, na Itália.

O esporte está presente nos Jogos Olímpicos desde a primeira edição da Era Moderna, em 1896. No entanto, as competições em Atenas, em águas abertas, tiveram de ser canceladas por conta do mau tempo.

Com isso, a estreia oficial do Remo no programa olímpico aconteceu na edição de Paris, em 1900, apenas para homens. As mulheres começaram a competir nos Jogos de 1976, em Montreal, no Canadá.

Os barcos podem ser tripulados por um, dois, quatro ou oito remadores, usando um ou dois remos cada atleta. As embarcações com oito remadores contam ainda com um timoneiro, responsável por conduzir o barco e comandar a tripulação.

O objetivo do Remo é simples: Percorrer um percurso em linha reta, chamado de raia, no menor tempo possível. Independentemente da categoria ou do tipo de barco, a distância é sempre a mesma, de 2.000 metros. A raia de competição é demarcada por boias, e cada bateria tem até seis barcos.

Nas competições com mais de seis embarcações inscritas, são disputadas baterias eliminatórias, repescagens, semifinais e finais até que sejam definidos os classificados à chamada final A, que vale medalhas. Os demais disputam a final B.