Os Jogos Olímpicos

A Esgrima é um dos quatro esportes presentes nos Jogos Olímpicos desde 1896, quando foi realizada a primeira edição da Era Moderna, em Atenas. Embora exista há muitos séculos – historiadores têm documentos cuja data é de aproximadamente 1190 A.C. –, o combate com espadas só se tornou uma prática esportiva por volta do século XV, quando os duelos eram sangrentos e, ocasionalmente, fatais.

Inicialmente concebido como treinamento militar, a transformação da esgrima para um esporte se deu por conta de três inovações surgidas entre os séculos XVII e XVIII: a chegada do florete, que era uma espada com uma bola na ponta, a máscara de proteção para o rosto e as regras que delimitaram a área de pontuação no corpo do adversário.

A Itália e a Alemanha dizem ser os “pais” da Esgrima moderna, mas não se sabe ao certo onde ela surgiu.

Os primeiros eventos de Esgrima no programa olímpico foram o florete e o sabre, em 1896, e a espada estreou quatro anos depois, em Paris. As competições por equipes começaram em 1908, em Londres – tudo isso apenas para os homens.

As mulheres começaram a disputar medalhas no florete em 1924, quando a competição aconteceu novamente na capital francesa, enquanto as competições de espada vieram em 1996, em Atlanta, e o sabre feminino teve sua primeira edição realizada no ano de 2004, em Atenas.

Cada uma das armas usadas dá nome a uma disciplina, que tem suas regras próprias. As três disciplinas se diferenciam pela maneira de se dar os toques e superfície válida. No florete, se marca ponto quando há um toque com a ponta da arma no tronco do adversário. Na espada, é possível atingir com a ponta qualquer parte do corpo do adversário, enquanto na disputa com o sabre é permitido tocar com qualquer parte da lâmina e a superfície válida é da cintura para cima do adversário.

Os combates são realizados sobre uma pista metálica de 14 metros de comprimento por 1,5 a 2 metros de largura. Por meio de sensores especiais, os esgrimistas são conectados a um sistema de contagem eletrônico, que indica se um toque foi válido ou não.

As disputas individuais acontecem em três rounds de três minutos cada, ou até que um esgrimista consiga tocar 15 vezes o adversário. Nos eventos por equipes, times de três competidores cada enfrentam os integrantes da formação rival em nove séries de três minutos, e vence aquele que acumular mais pontos, ou atingir o adversário 45 vezes – justamente o triplo em relação ao individual.