Ciclismo de Pista

O Ciclismo de Pista é realizado desde os Jogos Olímpicos de 1896, os primeiros da Era Moderna, e que foram disputados em Atenas, na Grécia. A disciplina está presente desde então, e só não teve provas na edição de 1912, em Estocolmo, capital sueca – quando aconteceu apenas a disputa de Estrada.

Desde as primeiras competições oficiais, em 1870, os ciclistas competiam em ginásios fechados com pistas de madeira, que lembram muito os velódromos utilizados nos dias de hoje. O ambiente permitia que a competição fosse disputada sem restrição meteorológica – e ainda agradava seus promotores, que podiam cobrar ingresso para que os espectadores assistissem às corridas.

No Ciclismo de Pista, as bicicletas são projetadas para alcançarem o máximo de velocidade possível, e curiosamente não possuem marchas e nem freios, já que parar repentinamente durante uma prova representaria um grande risco de acidentes na pista.

Apesar de o Ciclismo estar a tanto tempo em disputa, as mulheres só começaram a participar em 1988, em Seul, na Coreia do Sul, em provas de Velocidade.

O programa olímpico da disciplina conta com dez eventos, sendo cinco para homens e cinco para mulheres: Velocidade, Velocidade Por Equipes, Keirin, Perseguição Por Equipes e Omnium. A prova de Omnium, estreante em Jogos Olímpicos em Londres, é parecida com o decatlo e o heptatlo: os ciclistas disputam seis provas de contrarrelógio, pontos, perseguição e corrida, e recebem pontos de acordo com o seu desempenho. Ao final, o participante que obtiver a maior pontuação acumulada é o vencedor.