Os Jogos Olímpicos

Uma alternativa à prática esportiva durante o inverno. Foi a partir deste pedido que o Basquete nasceu, em 1891, no estado americano de Massachussets, de uma ideia do professor canadense James Naismith, que precisava criar um jogo indoor para manter seus alunos em forma enquanto não pudesse fazer atividades ao ar livre.

Com um conceito de 13 regras – algumas delas em vigor até hoje, como a de não correr com a bola nas mãos – e a ideia de acertar um alvo, a disciplina surgiu. Naismith inicialmente pensou em colocar uma cesta no chão, mas concluiu que seria muito mais desafiador alcançar um objetivo acima da altura dos demais jogadores, sem chance de defesa.

Nas primeiras partidas do novo jogo, os alvos eram cestas (baskets) de pêssego, de aproximadamente 45 centímetros cada, que ficavam alçadas com pregos a 3m05 do chão. E o esporte ganhou o nome de Basketball (“bola ao cesto”) – no português, Basquete. No início, as bolas arremessadas ficavam presas, e só algum tempo depois que alguém teve a ideia de cortar o fundo dos cestos para que a bola caísse.

Sete anos depois do surgimento do esporte, os americanos já organizavam sua primeira liga profissional, com seis equipes. Nos Jogos Olímpicos de 1904, em Saint Louis, também nos Estados Unidos, os melhores jogadores do país formaram uma seleção nacional e fizeram uma demonstração do esporte. Em 1906, os cestos deram lugar a redes de metal.

Entretanto, para que o Basquete pudesse fazer parte do programa olímpico, era necessária uma entidade para zelar pela disciplina. Depois de ter sido convidada a fazer parte da federação internacional de Atletismo, e de ser chancelada pela de Handebol por algum tempo, o Basquete viu a FIBA nascer em 1932, contando com a adesão de países como Itália, Argentina e até a Letônia – o que comprova a popularidade ao redor do planeta.

A entrada oficial nos Jogos foi na edição de 1936, em Berlim, mas os participantes acabaram prejudicados por ter de disputar as partidas nas mesmas quadras do tênis, de saibro. A entrada do evento feminino se deu em 1972, na cidade de Munique. Em 1992, a seleção americana de basquete foi formada pela primeira vez por jogadores da NBA, a liga mais forte do mundo, dando ao torneio olímpico a oportunidade de reunir os melhores.

O Basquete é jogado por equipes de cinco jogadores cada, em partidas divididas em quatro quartos de dez minutos – o relógio para quando a bola sai da quadra, ou em cada pedido de tempo, de um minuto cada. Cada equipe tem 24 segundos de posse de bola, e tem de arremessa-la em direção à cesta antes deste tempo. Os jogadores podem dar apenas dois passos segurando a bola nas mãos, e só podem andar com ela se a quicarem.

A equipe vencedora é aquela que marcar mais pontos no tempo regulamentar. Como o jogo não pode terminar empatado, são disputadas quantas prorrogações forem necessárias, de cinco minutos cada.

A pontuação é feita em arremessos de pequena, média e longa distância. Para pequena e média distância são contabilizados dois pontos, enquanto a bola arremessada de trás de uma linha arqueada, a 6,25m da cesta, vale três. Cada arremesso de lance livre vale um ponto.

O torneio olímpico de Basquete, tanto no masculino como no feminino, começa com uma fase de grupos, na qual os 12 países de cada disputa são divididos em dois grupos de seis, no qual todos se enfrentam. Os quatro melhores de cada chave avançam à etapa seguinte, que é eliminatória, e os dois que sobrarem de cada lado disputam o ouro. Os perdedores das semifinais brigam pelo bronze.

Confira informações técnicas sobre Basquetebol