Notícias

25/04/2014

Lenda eslovena do tiro esportivo mira em sua nona participação Olímpica nos Jogos Rio 2016

Campeão em Sydney 2000, Rajmond Debevec pode entrar para grupo seleto aos 53 anos de idade

Enviar para um amigo

Rajmond Debevec obteve recorde mundial que durou 20 anos na Carabina 3 posições 50 metros (Foto: Getty Images/Harry How)

Se carimbar seu passaporte para disputar os Jogos Rio 2016, o esloveno Rajmond Debevec garantirá também uma vaga em um dos mais seletos "pódios" do esporte Olímpico mundial. Dono de três medalhas no tiro esportivo, o atirador veterano de 51 anos chegará a sua nona participação nos Jogos, a apenas uma posição do atual recordista, o canadense Ian Millar, do hipismo, que marcou presença em dez edições e continua competindo. 

Atleta Olímpico há 30 anos, desde Los Angeles 1984, quando defendeu a extinta Iugoslávia, Debevec poderá dividir o lugar no "pódio" com outros dois europeus: o atirador letão Afanasijs Kuzmins, que segue em atividade, e o velejador austríaco Hubert Raudaschl, já aposentado, ambos com nove participações Olímpicas.

Mesmo com toda a bagagem Olímpica, Debevec ainda se impressiona com a grandeza dos Jogos e é em busca de viver este sentimento mais uma vez que, aos 53 anos, pretende competir no Rio de Janeiro.

“Ainda me sinto maravilhado com os Jogos Olímpicos. É um grande prazer competir de igual para igual com atiradores mais jovens e muito talentosos. Espero viver essa sensação novamente no Rio”, afirma o esloveno, que também acumula medalhas em Campeonatos Mundiais.

Se realizar o sonho de vir ao Rio, Debevec voltará ao Cento Nacional de Tiro Esportivo, onde competiu nos Jogos Mundiais Militares, de 2011. A instalação, aliás, é motivo de elogios rasgados do atleta à cidade sede dos Jogos Rio 2016.

“Competi no Rio em 2011, nos Jogos Mundiais Militares, e fiquei impressionado com o fato de a instalação do tiro esportivo estar pronta com tanta antecedência. Isso oferece possibilidade para diversos testes e os organizadores poderão ouvir a opinião de atletas, técnicos e outros especialistas e corrigir até os menores detalhes em prol do melhor evento possível. A instalação já tinha um nível muito elevado em 2011 e espero que seja uma das melhores linhas de tiro Olímpicas em que já competi em minha longa carreira”, acredita.

Debevec, ao centro, no pódio dos Jogos Olímpicos de Sydney, quando conquistou a medalha de ouro (Foto: Getty Images/Jamie Squire)

A primeira oportunidade para Debevec garantir a classificação aos Jogos Rio 2016 será em setembro deste ano, na disputa do Campeonato Mundial, em Granada, na Espanha, que colocará em jogo 64 vagas para a competição. Apesar de reconhecer as dificuldades, o campeão Olímpico destaca a importância para sua preparação de garantir a classificação com quase dois anos de antecedência.

“Garantir a classificação já no Campeonato Mundial de Granada seria ótimo, mas é uma missão muito difícil. A classificação antecipada garantiria uma preparação com menos desgaste e uma possibilidade de planejamento mais eficiente para atingir o pico nos Jogos de 2016. Se a vaga não vier esse ano, terei novas oportunidades em 2015”, diz o atirador, referindo-se aos classificatórios continentais e mundiais que serão realizados na próxima temporada.

Depois de defender a Iugoslávia em duas edições Olímpicas, Debevec estreou pela Eslovênia em Barcelona 1992 em grande estilo: estabeleceu, na semifinal, um recorde mundial que duraria 20 anos na prova da Carabina 3 posições 50 metros. A medalha de ouro foi conquistada nos Jogos Sydney 2000 e, após uma edição afastado do pódio, voltou a brilhar nos últimos anos, conquistando o bronze em Pequim 2008 e Londres 2012, sendo a última medalha na Carabina pronada 50 metros.

 

Enviar para um amigo

Filtrar em Notícias

Newsletter

Cadastre-se e receba por e-mail as últimas notícias do Rio 2016.

+
Notícias

RSS de notícias

Fique sabendo imediatamente quando uma nova informação é publicada.

+ASSINE JÁ