Notícias

24/06/2013

Do templo sagrado de Wimbledon, tênis Olímpico conhece novos ares no Rio de Janeiro

Em Londres 2012, esporte aconteceu no seu palco mais tradicional. No Rio, constelação de estrelas vai agitar o Parque Olímpico da Barra

Enviar para um amigo

(Foto: Getty Images/Jamie Squire)

O tênis vive um momento único na sua história. Considerado o maior tenista de todos os tempos e recordista de títulos de Grand Slam, o suíço Roger Federer alcançou recentemente a marca de 900 vitórias. O espanhol Rafael Nadal tornou-se, em Roland Garros, o atleta com mais títulos de um único Grand Slam: oito. Dona de quatro medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos, a norte-americana Serena Williams continua dominante no tênis feminino.

Aproveitando esse cenário e o início do torneio de Wimbledon, o site rio2016.com inicia a publicação de mais um especial de esportes. Depois do handebol, golfe e futebol, chegou a vez do tênis receber reportagens exclusivas. Informações sobre o legado dos Jogos Rio 2016™ voltado para o esporte, uma entrevista com o árbitro Carlos Bernardes e opiniões de diversos atletas compõem o especial.

Opiniões como a do brasileiro Gustavo Kuerten, o Guga, que disputou os Jogos Olímpicos de Sydney 2000, quando foi eliminado pelo russo Yevgeny Kafelnikov, nas quartas-de-final por 6/4 e 7/5.

“Minha estreia em Sydney foi a realização de um sonho cultivado desde criança, lembro que acompanhei os Jogos desde Seul, quando tinha onze anos. Na Austrália, tive a oportunidade de concretizar esse desejo e conviver com os melhores atletas brasileiros e a elite do esporte mundial de diversas modalidades esportivas. Competir numa Olimpíada é inesquecível, eu tento imaginar como seria disputar no meu país, e experimentar, possivelmente, a maior realização de um atleta brasileiro”, disse Guga, com exclusividade para o site rio2016.com.

O leitor ainda terá informações em primeira mão sobre o Centro Olímpico de Tênis, que será construído no Parque Olímpico da Barra, e sobre o tênis em cadeira de rodas com entrevistas exclusivas das holandesas Esther Vergeer, detentora de sete medalhas de ouro nos Jogos Paralímpicos (quatro em simples e três em duplas) e Aniek van Koot, prata em Londres 2012, além da jovem promessa brasileira Natália Mayara. Para se ter uma ideia da supremacia laranja no esporte, as mulheres do país conquistaram ouro, prata e bronze nas simples, além de ouro e prata nas duplas no ano passado.

O site rio2016.com lança especiais dos 28 esportes olímpicos e paralímpicos desde 2011. Atletismo, basquetebol, basquetebol em cadeira de rodas, boxe, bocha, goalball, judô, luta olímpica, natação, paracanoagem, pentatlo moderno, rugby, taekwondo, tiro esportivo, triatlo, vela, voleibol e vôlei de praia.

Confira a programação:

Segunda-feira, dia 24 – Legado dos Jogos Olímpicos para o tênis deve alavancar o esporte após a Era Guga

Terça-feira, dia 25 – Depois de cinco finais de Grand Slam, Carlos Bernardes busca a primeira decisão Olímpica

Quarta-feira, dia 26 – Holandesas tentam manter hegemonia do tênis em cadeira de rodas no Rio 2016™

Quinta-feira, dia 27 – Como o vinho, Federer e Serena evoluem no esporte e descartam aposentadoria

Enviar para um amigo

Filtrar em Notícias

Newsletter

Cadastre-se e receba por e-mail as últimas notícias do Rio 2016.

+
Notícias

RSS de notícias

Fique sabendo imediatamente quando uma nova informação é publicada.

+ASSINE JÁ